01
Jun
09

Fotografar com…scanner.

Ando com esta ideia já há algum tempo: fotografar com um scanner Epson 4490 que está parado cá por casa. Comprei-o para digitalizar alguns negativos que tenho mas reconheço que o resultado final fica aquém das minhas expectativas e também deixei de utilizar película e assim o uso do scanner tem-se limitado às capas para os álbuns que importo para o iTunes.

Mas ultimamente tenho recolhido algumas folhas que depois seco dentro de uma Moleskine e que aguardavam uma solução imaginativa para lhes dar destino. Fotografar as folhas seria o expectável mas o resultado seria algo decepcionante dado que o detalhe intricado das folhas se perde e a resolução da máquina não permite grandes ampliações – factor que é decisivo para este trabalho – mas sobretudo perde-se algo da tri-dimensionalidade das folhas secas.

Estava a digitalizar umas capas para o iTunes e decidi experimentar digitalizar uma folha para testar uma teoria…
folhaParece uma imagem extraída de uma DSLR mas o detalhe, o detalhe…
detalhe(crop 100% da imagem anterior)
Daqui passei para o tratamento da imagem – pequenos ajustes de sharpening, níveis, pretos, contraste e saturação – e para a impressão. Depois de ver a imagem percebi que só um tipo de papel se adapta que nem uma luva a este tipo de imagem: os Velvet (Somerset ou Epson). E de facto é impossível reproduzir num monitor a impressão: detalhada, saturada e sobretudo consegue reproduzir muito bem a tri-dimensionalidade da imagem e a textura do papel ajuda a transmitir a sensação de ter uma folha gigante – a impressão foi efectuada em A3+ (33×49) – nas mãos.
As possibilidades criativas desta técnica são imensas e permitem uma latitude de experimentação muito interessante, a cor do fundo por exemplo é algo que ainda não me satisfaz completamente.
A recolha das folhas deve ser feita entre a primavera e o outono antes das folhas secarem e ficarem frágeis e estaladiças, o que impossibilita a digitalização.

Detalhes técnicos: folha de um carvalho, digitalizada num scanner Epson 4490 a 1200DPI a 48bits/cor que resulta num ficheiro Tiff de 179Mb, edição no Aperture por esta ordem: níveis, contraste, saturação, contraste, ajuste dos pretos, sharpening; impressão numa impressora Epson 3800 em papel Epson Velvet Fine Art A3+ com o perfil Epson para o conjunto impressora/papel, a 16Bit e resolução de 2880, com ajuste do Aperture do sharpening de output de 0,5.


0 Responses to “Fotografar com…scanner.”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


mário venda nova

contactos:

tlm 965 275 830

skype: elogiodasombra

"eu não quero saber se sou o primeiro a dar a notícia, só me preocupo em ter a informação correcta e fazê-lo bem. Essa é uma pressão diária."

larry king

trabalhos pessoais


mariovendanova.com
[este é o meu sítio pessoal onde estão os meus projectos já consolidados e acabados]

in every kind of light
[aqui estão os rascunhos dos meus projectos correntes e inacabados]

publicação de fotos

todas as fotografias pertencem aos respectivos autores assinalados e são publicadas apenas no estrito interesse do comentário e crítica sobre fotografia.

recursos


Loja 'o elogio' na Amazon
[larga variedade de livros de e sobre fotografia. se comprar via este link recebo uma pequena percentagem.]

Loja 'o elogio' na Amazon.com (EUA)
[igual ao link acima mas para a loja da Amazon EUA, de todas as compras continuo a receber uma pequena percentagem.]

Monochrom
[loja boutique, com artigos que não se encontram noutras lojas. os pápeis de impressão fine-art são bons.]

arquivo

stats