Posts Tagged ‘aperture

30
Mar
09

depois da estatística, o workflow.

Depois de publicar uma breve estatística de um sábado de fotografias, agora publico o que acontece às imagens captadas.

Num dia típico posso captar algures entre 100 e 500 fotografias, muitas delas simples variações de composição e/ou exposição e é preciso catalogar, organizar, escolher e editar cada uma delas. Aqui abro um pequeno parênteses para afirmar o seguinte: sou uma desgraça organizacional. Um ficheiro é arquivado algures e nunca mais sei dele e detesto a pequena arrumação de pastas e pastinhas que o Windows tem, sempre me perdi naquilo. Aliás ainda organizo as coisas um pouco assim mas com o Mac OS e o Finder as coisas têm melhorado. Faz-me confusão ter um ficheiro dentro de uma pasta e precisar do Nero ou de outro programa ‘pirómano’ para uma simples gravação em CD. De volta à fotografia. Dito isto, preciso de algo que me arrume as fotografias e as organize segundo critérios apertados definidos por mim: benvindos ao Aperture.

imagem-1Chego a casa e depois de arrumar mochilas, roupa e calçado e refrescar-me com um banho é hora de meter as fotografias no Aperture, para isso abro a aplicação e selecciono o projecto para onde vão as fotografias. Meto o cartão de memória no leitor – um SanDisk ImageMate – e Aperture pede-me para confirmar se quero meter as fotos nesse projecto, com a opção de apenas escolher algumas, coloco o nome que vai ser dado aos ficheiros, as keywords para pesquisas facilitadas e já está.
É nesta barra que a ‘magia’ inicial acontece e estão disponíveis várias opções:

1) Store Files: é possível trabalhar com imagens que não estejam arquivadas na biblioteca interna do Aperture, embora com a subsequente perda de funcionalidades internas do próprio programa como o backup autónomo, e assim manté-las na sua localização actual. É a velha organização à Windows, descarregar as fotografias numa pastinha e depois dizer ao programa onde estão e trabalhar a partir daí, se não é um fotógrafo ‘on the fly’, esqueça e meta tudo dentro da biblioteca, se trabalha com as mesmas imagens em vários computadores o melhor é trabalhar com as imagens todas numa hard drive externa e editá-las assim. Serve bem o propósito de um fotógrafo de natureza: no terreno é possível verificar os ficheiros e fazer uma edição rápida para depois completar o trabalho em casa.
2) Keywords são pequenas etiquetas de texto que permitem organizar, procurar e catalogar as imagens. São um pequeno resumo do que é a imagem, onde foi tirada – embora eu deixe essa opção para o título do ficheiro – e outras que deseje lá colocar.
3) Version name: eu coloco sempre o local onde as fotografias foram captadas. Sempre. Mas cada um pode seleccionar o que lá quer pôr, claro mas sem esquecer que esse será o título de todas as imagens que vai importar, se tem algumas flores espalhadas no meio de paisagens, o melhor é importar cada tipo de fotografia e dar-lhe o respectivo título. Tem a opção de alterar ou não o ficheiro Master, o que eu não faço.

imagem-2Depois disto escolho as imagens segundo um critério meu de classificação: uma ou duas estrelas, nem interessa perder tempo, três estrelas é preciso verificar composição, luz e potencial ou seja são as imagens para editar. O Aperture, através do uso intensivo de pastas inteligentes cujos critérios de selecção são escolhidos por mim, depois separa tudo. Em qualquer momento sei que fotos têm a classificação de quatro estrelas – Flickr e fotoblogue, quais as fotos de cada ano e separa também as melhores fotografias (quatro e cinco estrelas) por anos.

Ainda existe uma outra pasta com fotos que ainda não foram classificadas nem editadas, são habitulamente as que estão em linha de espera para serem triadas e editadas.

A pasta de impressão serve para testes de impressão, onde basicamente afiro qual o tamanho maior em que posso imprimir determinada imagem e se depois de impressa existem defeitos que escaparam durante a edição ou se esta deixou artefactos que necessitem de correcção.
E para a organização é tudo o que faço.

Depois da organização a edição.
E vamos melhor com o exemplo do que com a palavra. Pego então numa imagem escolhida porque usa o arsenal todo de edição que anda cá por casa.
serra-da-cabreira-143
1) correcção dos níveis. Primeiro de forma automática, depois com correcção manual;
2) corrigir sharpening;
3) como o céu está com zonas queimadas, a imagem é enviada para o LightZone e edito o céu;
4) a cor está claramente a mais, por isso segue para o Silver Efex Pro para ser transformada em preto&branco;
5) corrijo as sombras e as altas-luzes, escolho o tipo de filme – Fuji Acros 100 e dou-lhe um pouco de grão, na tonalidade opto por um split-toning verde/amarelo.

O resultado final:
serra-da-cabreira-143-1
É um exemplo rápido de como escolho, selecciono, organizo e edito as minhas fotografias. Geralmente esta não seria a única versão da imagem, poderia fazer uma com tonalidade sépia, outra com tonalidade fria, uma versão infra-vermelho, poderia fazer tudo no LightZone sem passar pelo Silver Efex Pro, etc. Cada imagem é um caso que merece atenção e paciência, às vezes edito as imagens passado dois ou três meses após a captura para evitar ter ainda ligações demasiado emocionais à imagem, que poderiam ter um efeito nefasto na sua classificação.

Anúncios
15
Fev
09

Prints na aperture.

É uma novidade na Aperture a venda semanal de uma impressão de alta qualidade, isto todas as sextas-feiras. A venda será efectuada com um desconto sobre o preço habitual de 15% mas mesmo assim são artigos fora do alcance de muitos. Exemplo: a fotografia desta semana da autoria de Larry Fink tem o preço de 1.020Usd, 40×50 cm e edição de 50, que apesar de elevado parece-me justo, sobretudo numa edição analógica em papel fotográfico – longe portanto das edições digitais inkjet.
svVale a pena espreitar e sobretudo pensar que o mercado de arte se tem mantido sempre com rentabilidades acima do mercado de acções, desde que invista em valores seguros.

21
Maio
08

Aperture em acção.

picture-2

Aperture in action‘ é uma oportunidade de ver alguns profissionais a explicar como usam esta ferramenta digital. Para quem a usa é interessante ouvir como a usam, para quê e como.
Sou um aderente ao Aperture desde o início e tenho-me mantido fiel desde então, recentemente e porque a interface de impressão não era o que eu desejava procurei outras alternativas mas não encontrei uma que me satisfizesse a ponto de mudar. Entretanto na versão 2 a impressão foi mudada e já se aproxima do ideal mas sobretudo consegue tirar partido da impressão a 16 bit do Leopard e que os novos drivers Epson já suportam. E posso garantir em primeira mão que as impressões Aperture/Epson em 16 bits são muito idênticas ao detalhe conseguido com um bom perfil Spyder3 a ponto de quase não se distinguirem.
Mas nem tudo são rosas e o programa precisa ainda de mais algum desenvolvimento para se tornar numa poderosa ferramenta de edição. Assim de repente gostaria de ver edição localizada e com zonas ajustáveis, a possibilidade de seleccionar o rendering intent na impressão, um soft proof melhor e a edição de grupos de imagens.




mário venda nova

contactos:

tlm 965 275 830

skype: elogiodasombra

"eu não quero saber se sou o primeiro a dar a notícia, só me preocupo em ter a informação correcta e fazê-lo bem. Essa é uma pressão diária."

larry king

trabalhos pessoais


mariovendanova.com
[este é o meu sítio pessoal onde estão os meus projectos já consolidados e acabados]

in every kind of light
[aqui estão os rascunhos dos meus projectos correntes e inacabados]

publicação de fotos

todas as fotografias pertencem aos respectivos autores assinalados e são publicadas apenas no estrito interesse do comentário e crítica sobre fotografia.

recursos


Loja 'o elogio' na Amazon
[larga variedade de livros de e sobre fotografia. se comprar via este link recebo uma pequena percentagem.]

Loja 'o elogio' na Amazon.com (EUA)
[igual ao link acima mas para a loja da Amazon EUA, de todas as compras continuo a receber uma pequena percentagem.]

Monochrom
[loja boutique, com artigos que não se encontram noutras lojas. os pápeis de impressão fine-art são bons.]

arquivo

stats